Tudo vem de fora, quer seja intuições do Astral Superior (espíritos esclarecidos), ou do astral inferior (espíritos obsessores)... Carlos Yates

Leis Naturais e Imutáveis – Vibrações da Inteligência Universal - Por Carlos Alberto Yates e Wilson Candeias

O que é a vida senão a ação permanente da força sobre a matéria. A composição do universo está repleta de força e matéria, a força é ativa, transformadora e inteligente, enquanto a matéria é passiva e plasmável, uma compõe a outra decompõe. Sua ação é mecânica; composição e decomposição, agregação e desagregação.

Segundo Darcy de Mendonça Uchôa, em seus Ensaios de Filosofia de Vida (1989:26) "a matéria inerte não pode perceber por si mesma, ela é acionada por energia de vida e por algo que lhe dá sentido e significação. O conceito de significação transcende os de matéria e energia, parecendo já estar aí a categoria da inteligência, do intelectual, do espirito enfim".

A força se mantém por leis comuns, naturais e imutáveis; comuns, a todos sem exceção; naturais, é a lógica no processo da evolução; imutáveis, por serem absolutas, a exatidão, a certeza e a perfeição.

Ainda, segundo Darcy de Mendonça Uchôa, em seus Ensaios de Filosofia de Vida (1989:66) "há assim vida em todos os reinos: do mineral ao homem, do inorgânico ao orgânico, do vírus, do micróbio, da ameba ao homem, há vibração, movimento, vida desde as partículas subatômicas, do infinitamente pequeno ao macrocosmo, isto é, planetas, sóis, galáxias, universos conhecidos e por conhecer".

Uma visão espiritualista do tempo e espaço - Por Carlos Alberto Yates

Sem a manifestação da força, em qualquer grau evolutivo, não temos a percepção de tempo. Sendo este apenas árido meio, até mensurarmos a duração e sequência dos fenômenos quer psíquicos quer físicos. O que realmente marca a passagem do fator tempo é a expressão da vida, que o utiliza na ação que marca o seu presente, jogando-a imediatamente no passado e buscando na disponibilidade inexaurível do futuro o campo apto para nova expressão. Perfaz, então, neste deslocamento infinito, o explicitamento do seu maior ou menor quilate preenchendo um vazio futuro, e com este ato demarca a chegada do presente. Este modo atual é assim tomado até que outra ação o coloque no pretérito, repetindo-se a caminhada sem retorno na linha do tempo.

Nosso tempo para o futuro será interminável, como nós . O tempo que antecedeu a nós também é infinito. Nascemos em um ponto (evento) entre estas duas grandezas sem fim, para marcar naquele longínquo ato, o poder criador dos princípios supremos da Inteligência Universal. Esta transforma ali, o futuro que estava vazio em presente profícuo para nós e para ela. Fato que, naturalmente, se reverte automaticamente em passado para ambos, pois como vida que são manifestam-se no presente abocanhando imediatamente o futuro, repetindo a jornada vibratória a elas inexoravelmente inerentes.

O futuro será algo sempre planejado, almejado, por nós ou por uma consciência maior à qual estamos sempre ligados na esteira evolutiva. Se assim não for transforma-se em modorrento presente, não sendo nem capaz de produzir o passado. Este será sempre para a partícula um arquivo, cujo valor será tanto maior quanto maior aproveitamento ela tiver, em aprendizado, ao transformar o futuro em presente.

Mecânica do desenvolvimento - Por Carlos Alberto Yates

Segundo a obra básica, Racionalismo Cristão, capítulo V ("O Espírito") temos: "São os movimentos irradiados de um núcleo de força, que é o espírito (partícula), no oceano de uma essência idêntica, que é o Todo, assinalando o poder atrativo que faz com que atributos deste Todo convirjam para o núcleo, desenvolvendo-o e dando-lhe maior potencialidade".

Para desenvolver estes atributos, que são aperfeiçoamentos (ou como diria Antônio Pinheiro Guedes, transmutabilidades) das incipientes propriedades que trouxe desde o "nascer", a partícula exerce as diversas funções no engendramento e funcionamento dos vários corpos que a inteligência universal projetou e disponibiliza na forma de programação astral, sendo naturalmente cada modelo adequadamente destinado à ação de uma força mais ou menos evoluída, conforme a capacidade de gerenciamento desta, de uma maior ou menor complexidade de funcionamento e de compleição física destinada àquele corpo material delineado na matriz (que acredito ser matemática) do corpo astral.

E se não fosse a capacidade de percepção do meio, composto de fenômenos totalmente protagonizados por outras forças, impossibilitada estaria a interatividade, base da troca, condição fundamental para o aprendizado, sustentador da função evolutiva.

Como a partícula trabalhará sempre em conjunto, desde seu aparecimento ao ser usada para estruturar o universo material, será a comunicação entre elas algo de primordial necessidade, desde então até a eternidade.

Aprendizado nas esferas de ação - Por Carlos Alberto Yates

Todas as tarefas que se executam, quer no mundo terra quer no espaço superior, estão atidas à esfera de ação correspondente ao alcance construtivo de cada espírito, e enquadram-se exatamente no que foi traçado no mundo de origem deste.

A programação de nossa vida em linhas mestras de acontecimentos que poderão vir de encontro à nossa rota, obedecem a sistemática do aprender, do fazer e também do sofrer.

Para aprender desenvolve os a arte de querer fazer algo, pois isto nos obriga inapelavelmente a buscarmos conteúdo elucidativo acerca do que nos propomos a realizar a fim de corrermos o menor risco de falharmos.

Invariavelmente, quando bem cumprida a missão, faremos a execução de tarefas, inerentes ao nosso preparo efetuado em nosso mundo de estágio, na nossa esfera de ação, que servirá a um determinado grupo de pessoas, ou comunidades que, com a necessidade que sanamos com o desempenho de nossa função, passam a ter em seu meio quem lhes forneça pronta a tarefa cuja especialidade dominamos.

Somos aproveitados em nossas experiências e aptidões por espíritos de hierarquias mais evoluídas, para desenvolver, aqui na terra, tarefas cujos labores foram detectados aqui como deficitários, pelos planos superiores, que por sua maior evolução tem uma visão futura muito mais profunda do que nós, muito embora seja em plano astral que analisamos e acordamos com a missão a nos ser confiada.

Com o progresso, embora lento da terra, e o aparecimento das ciências e tecnologias, houve a possibilidade de reencarnar aqui, espíritos que utilizavam o pouco já existente para alavancarem maior progresso para todos, permitindo que outros de menor evolução aqui viessem cumprir os seus deveres também, porque já não necessitavam das dificuldades porque passaram os primeiros reencarnantes.

Justos Interventores - Por Carlos Alberto Yates

Clique para OUVIR a Limpeza Psíquica
O universo, no qual desenrola-se a vida astral superior, é composto principalmente de sabedoria e justiça. A sabedoria leva ao exercício da justiça e esta à consciência de que todos são irmãos em essência, apenas em diferentes estágios evolutivos na busca pelo conhecimento. Há nestes planos um equilíbrio de ações que se tornam possíveis visto o grande entendimento da necessidade de determinados atos para suprir hierarquias de menor evolução de conteúdo que as tornem equilibradas, com mais conhecimento e justiça, ao mesmo tempo em que há um movimento evolucionista dentro da própria hierarquia.
Este nosso planeta, desde o aparecimento do homem, tem primado pela falta de conhecimento, justiça e equilíbrio. A ausência destes três fatores em qualquer parte do universo sempre irá gerar sofrimentos, onerando, portanto, em muito, o progresso das partículas atingidas por esta situação.

Hierarquia de leis e partículas de forças inteligentes - Por Carlos Yates

Para nos mostrar que não só o universo espiritual é hierarquizado basta pensarmos que somos, conforme o próprio Racionalismo Cristão nos diz, o universo em miniatura e este universo compõe-se de Inteligência universal, galáxias, sistemas solares, sóis e planetas,  sendo constituído por força e matéria.

Nós seres encarnados somos também força e matéria.

Fazendo uma analogia com nosso corpo físico somos espírito (a inteligência), animando órgãos (as galáxias)  que englobam as células (os sistemas solares) e que tem dentro de si as moléculas e os átomos (os sóis e  planetas).

Desdobramento mediúnico, fenômeno natural - Veleiro encalhado no gelo em 1828, ajuda a muitos a entender o fenômeno, principalmente enquanto dormimos - Pesquisado por Carlos Yates e Wilson Candeias

Limpeza Psíquica
O fato é que hoje se torna comum ouvir depoimentos de pessoas que percebem certos fenômenos em suas vidas, por exemplo, ao dormir saem de seus corpos em desdobramentos, mas sem saber do que se trata, ou por falta de esclarecimentos sentem-se desorientados.

Temos um exemplo ocorrido em 1828 e registrado pelo Jornal The Mercury, na Cidade de Hobart, Austrália, que poderá servir de ajuda, pois está bem explicado com detalhes pelo Racionalismo Cristão no Livro A Vida Fora da Matéria, edição internet.

Veleiro, perto das costas da Terra Nova, no qual viajava Robert Bruce. Para que nenhuma dúvida possa pairar no espírito do leitor sobre o fenômeno do desdobramento, e como este se pode dar sem que a pessoa se lembre do que consigo se passou, vamos relatar, neste e nos próximos seis quadros, um fato registrado no Almirantado Inglês, onde se acham arquivados os documentos relativos ao caso.


A tripulação deste navio, encalhado no gelo, em alto mar, encontra-se no auge do desespero, pois não havia a mais remota possibilidade de salvamento.
No convés do navio encalhado, adormecido a um canto, vê-se um marinheiro, cujo duplo-etéreo se desliga do corpo físico e vai ter ao navio representado no primeiro quadro acima.

O desdobramento dá-se quando o corpo dorme ou a criatura está em concentração. O espírito se desprende do corpo, forma o seu corpo astral e se afasta, continuando todavia sempre ligado ao corpo físico por cordões fluídicos.O duplo etéreo, do marinheiro do navio encalhado, encaminha-se para a cabina do comandante do navio do primeiro quadro, sendo, então, aí notado pelo Sr. Robert Bruce que, espantado por ver, naquele lugar, um indivíduo que não conhecia nem pertencia à guarnição do navio, avisa ao comandante de que um estranho se dirige para o seu compartimento.

A forma Astral Superior que, em feitio de um pequeno Sol, com alguns raios luminosos, se vê sobre a cabeça do duplo-etéreo, mostra a boa assistência do desdobrado, e como esta boa assistência o encaminhou para o outro navio, de onde poderia vir o socorro.

A passagem da vida física para a vida espiritual - Por Carlos Yates e Wilson Candeias

Limpeza Psíquica
É sabido que a moderna medicina, tem provas que alguns seres apesar de estarem clinicamente mortos, retornam a vida física e narram inacreditáveis experiências de voos pós saírem de seus corpos, então torna-se claro que a vida continua pós morte física.

O ser que estuda a espiritualidade, sabe que dentro das leis naturais e imutáveis que tudo regem no universo, uma encarnação na longa caminhada de um espírito, nada mais é do que um simples momento na sua existência, portanto, nesse vai e vem, encarna e desencarna, existe uma passagem, um contato com o outro lado, contato inicial com a eternidade que vai conscientemente desabrochando com o galgar contínuo às classes espirituais de maior evolução.

“Antes de chegar aos problemas máximos do Universo, a criatura apenas precisa adquirir os conhecimentos necessários à sua evolução”. Luiz de Mattos

Corruptos, ladrões, assassinos, terroristas... Por Carlos Yates e Wilson Candeias

precisam conhecer urgentemente
Corruptos, materialistas, mentirosos, ladrões, violadores, assassinos, terroristas, sequestradores, traficantes e, a todos aqueles que prejudicam ao próximo e a família, mas principalmente aos que se negam a usar o livre arbítrio para o bem, por mais engenhosas que sejam as artimanhas para viverem impunes e provocar a desordem, precisam conhecer urgentemente no que virá depois da morte física.


Num pequeno planeta como o nosso, destinado ao progresso espiritual, o “ser” que por equívoco, anula a própria consciência, vivendo embriagado pela ânsia dos valores materiais, focado no querer mais, custe o que custar, está esquecendo a lei do retorno.